20/05/2008

Eu de casa nova!!! Não mereço!!!

Minha história não é diferente da maioria, nasci, cresci e vivi na periferia, desde pequena vi minha família passar por muitas dificuldades. Meu pai lutando durante anos e anos, tentando conseguir um lar pra colocar a gente. Somos seis irmãos, quatro mulheres e dois homens. Imagina só, se hoje já é díficil criar tantos filhos, imagine como era antigamente, digo há uns 25 anos atrás. É meu pai ralou desde 13 anos de idade pra conseguir vencer. E hoje graças a Deus, ele é um vencedor. E nós filhos, somos uma pedra de tropeço. Meus irmãos não entendem o meu pai. Eu, às vezes procuro entender, mas, ficam as indagações. Meu pai, é um homem muito abençoado por Deus hoje. Quando minha mãe conheceu a Jesus Cristo e decidiu servi-lo eu tinha 07 anos de idade, e também decidi servir, mesmo não entendendo ainda a morte de Jesus na cruz pelas nossas vidas, mas eu fui. Meu pai, é músico, e naquela época pra nos sustentar, vivia da música, tocando em bares e casas noturnas. Moravámos em um quarto alugado na casa da minha avó paterna. Nossa situação não era muito boa, pois havia uma penca de meninos no quartinho apertado, mas sobrevivemos. Não vou contar a minha história toda, pois não gosto de relembrar o passado. Continuando da parte da conversão da mamãe e eu: Depois de um tempo, minha mãe começou a orar e pedir a salvação do meu pai. Glória a Deus, depois de uns anos, meu pai veio a conhecer Jesus, eu tinha 12 anos, era em 1992. Daí, meu pai entrou e eu sai, por pura rebeldia, pois na época em que ele não havia aceitado Jesus, eu ia muito a Igreja, sempre tinha aniversário na casa de jovens do grupo de juventude da Igreja e eu gostava muito de estar com eles. E meu pai não entendia e começou me proibir de ir pra Igreja, daí então eu sai. Talvez ele nem lembre disso, mas eu lembro. Fui pro mundão, conhecer o meu pior pesadelo, por causa de rebeldia. Até aí, tudo bem. Com 19 anos retornei, estava eu grávida do meu esposo, na época eramos namorados, tivemos que ficar juntos. Meu pai e minha mãe não gostaram muito, mas eu não tinha pra onde ir, ficamos morando lá em casa, depois de um ano e meio, lá fiquei buchuda de novo, agora tinha dois curumins, Paulo Lucas e Miguel, mas, um ano e meio se passaram de novo, engravidei, agora do Gustavo, e tive que sair da casa de meus pais devido a um problema pessoal entre meu esposo e meu irmão mais novo. Fomos embora morar num quartinho, até aí, fiquei isolada da minha família por um bom tempo. Meu pai é que sempre me ajudou. Eu e meu esposo trabalhávamos, mas viviamos em condições precárias. Lembrei então de como minha mãe e meu pai passaram pela mesma situação, só que de uma maneira diferente. Não é nada fácil, trabalhar pra pagar aluguel. Até aqui...ponto final...rolou muita coisa ainda...Depois de tanta dificuldade passada, meu pai resolveu construir uma casa pra mim, não que eu merecesse, ou mereça, com muito esforço tirando de onde não haviam recursos, gastando até o que tínhamos da empresa, meu pai continua terminando a construção, só pra não ter que ver eu de novo na dificuldade. Meu pai não precisa fazer isso. Ele diz que é investimento da família, pois ele pretende investir naquela casa também fazendo kitinetes pra alugar. Tivemos que sair às pressas da casa em que estávamos ocupando, era uma casa de madeira com apenas três comôdos, que meu pai também reconstruiu, pois era uma casa que estava vazia e sem dono, até alguém ficar nela, eu, pra aparecer o dono e pedir a casa. Mas, foi onde passamos um dos anos mais felizes da minha vida e da minha família. Não estávamos pagando aluguel, deu pra comprar nossas coisas, que não tinhamos. E agora, estou de casa nova, de alvenaria com dois quartos, cozinha, sala de estar, sala e jantar e um quintal muito amplo. Ainda postarei fotos dessa casa aqui. Eu quero dizer que meu pai, é abençoado por Deus, mesmo que ninguém o entenda, mesmo que todos ao seu redor o explorem, ou tentem enganar, eu tenho certeza que ele sabe o que está fazendo. E Deus na sua infinita misericórdia e amor pela minha família providenciou a benção, e também o abençoador.
Pai, quero declarar aqui que te amo muito, não porque o senhor tem me ajudado, mas, porque o senhor tem sido um exemplo pra mim, nunca deixei de amar você, mesmo quando o senhor estava distante de nós, eu o entendia, eu sabia que mesmo longe o senhor sempre esteve perto. E é por isso que hoje somos o que somos por causa da sua fidelidade. Muito obrigada pai, eu não mereço o senhor ter que me aguentar tanto tempo. Perdoa se muitas das vezes não te entendemos e nem damos crédito as suas palavras. Fazemos isso, porque não sabemos o real motivo de você ser o que é. Fico feliz por ter um pai como você. E farei o que for preciso pra nunca deixar faltar nada pra você quando estiver velho lá pros seus 120 anos, que é o que eu determino que o senhor vai ainda viver, pra ver os netos dos netos dos seus netos.
OBRIGADA LUCAS...E OBRIGADA LUCIMAR POR TER COLOCADO NO MUNDO O MEU PAI. OBRIGADA DEUS POR TER ESCOLHIDO O LUCAS PRA SER MEU PAI.
Share:
Postar um comentário