01/07/2008

O PERFIL DO CRISTÃO

A vida cristã séria significa continuamente fazer julgamentos morais. Para isso devemos, em primeiro lugar, aceitar que existem leis morais aplicáveis a todos. Para alguns, a escolha entre o certo e o errado, ou bem e mal, é baseada naquilo que for conveniente para o momento. Outros baseiam a sua moralidade nas convicções culturais ou na influência da mídia, principalmente da TV. Os cristãos devem tirar seus valores da Bíblia. A ética bíblica está preocupada com o estilo de vida que a fé cristã exige. (Tiago 3:13; 1Pedro 3:2-16; 2Pedro 3:11).


O caráter de Deus é refletido na ética bíblica. Assim, as virtudes como honestidade, bondade, gentileza e integridade, são atributos definidos por Deus e não estão sujeitos às opiniões particulares.
A ética bíblica é para todos, não distingue raça, classe social e nível cultural. (Gálatas 3:28; Colossenses 3:11; Tiago 2:1-10).

Os requisitos morais pelos quais os cristãos devem viver hoje são os mesmos de ontem e serão os mesmos de amanhã, porque “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e o será eternamente” (Hebreus 13:8).


A nossa tarefa é chamar de certo, errado, bem ou mal, o que Deus chama certo, errado, bem ou mal. Não há liberdade individual para decidir quais valores são corretos. Deus já os revelou para nós. Para o cristão, o estilo de vida é uma questão de lealdade a Deus, não de preferência pessoal.

Qual a ordem moral contida nas escrituras?

Que devemos sempre considerar a preciosidade daqueles que estão ao nosso redor.

Devemos viver de uma maneira que reflita Cristo em nós. Jesus sempre se orientava em relação aos outros e estabeleceu o padrão ético; o ‘’uns aos outros’’ das escrituras. Devemos seguir seu exemplo e orientar o nosso comportamento de acordo com a preciosidade dos outros. (João 13:34-35; Colossenses 3:8-9; 12-14).

Devemos considerar quem vem atrás, quem está ao nosso lado e quem está à nossa frente. É uma sensibilidade de amor a Deus e ao próximo. (Marcos 12:28-31; 1João 4:19-21).

A qualidade do caráter cristão é exemplificada pela presença ou ausência de três atributos: Respeito, honra e honestidade.

Ter uma atitude de respeito, honra e honestidade não é suficiente, tem que haver uma demonstração contínua dos três. Os relacionamentos interpessoais fundamentais para todos os relacionamentos humanos são:

Autoridade
Pais
Anciãos
Companheiros e irmãos
Propriedades dos outros
Natureza
Respeito por Autoridade

Autoridade é um conceito bíblico (Romanos 13:1, 1Pedro 2:13-14 e 17; Hebreus 13:17a).

O homem, por natureza, não gosta de autoridade, porém a ética bíblica requer que vivamos de acordo com a autoridade, honrando os outros. Todas as autoridades originam-se de Deus (Romanos 13:1); Deus quer que respeitemos a autoridade (Romanos 13:2-3) e treinemos os nossos filhos a fazerem o mesmo. (Efésios 6:1-4). O Senhor colocou pessoas em posição de autoridade para evitar o caos, a confusão e a destruição. Imagine se não houvesse autoridade governando o tráfego; para punir os malfeitores e trazê-los à justiça e para proteger os inocentes. (Romanos 13:4). Concluímos então que a autoridade é necessária para manutenção da ordem.

A submissão à autoridade é aceitar que Deus colocou essa pessoa sobre nós. Muitas vezes uma atitude amarga em relação à autoridade é uma atitude amarga contra Deus.

Respeito pelos pais


Ensinar aos filhos a respeitarem e honrarem os pais é fundamental no ensino sobre “respeito às outras pessoas” (Êxodo 20:12). O mandamento de Êxodo 20:12 está associado a uma promessa; consequentemente, a desonra também está ligada a uma maldição. Os que desonram seus pais receberão o peso do julgamento de Deus (Provérbios 30:17; Êxodo 21:15,17 e Levítico 20:9).

Os filhos não obedecerão, respeitarão ou honrarão automaticamente a seus pais. Essas atitudes são contrárias à sua natureza. Eles precisam receber treinamento e orientação. Os pais são os governadores designados por Deus para administrar as almas de seus filhos.

De acordo com a Bíblia, honrar os pais implica em um profundo respeito, dado com amor. Honrar por dever não anula a honra, mas anula a santidade da honra e a intenção original de Deus. Deus nos chama a um relacionamento de discipulado com os nossos filhos; a levá-los da inocência e estultícia à maturidade e sabedoria. (Provérbios 4:1-7).

Respeito por idade

A mensagem bíblica é clara: Honrar a idade é honrar a Deus. (Levítico 19:32).

É uma ordem bíblica. A tradução literal desse versículo é que diante de uma pessoa idosa, você se levantará e a honrará, e assim temerás o seu Deus.

Respeito pelos colegas e irmãos

A última parte dos dez mandamentos representa o relacionamento do homem como homem. São as orientações para o nosso comportamento, servindo como uma restrição e encorajamento moral de nossas ações em relação aos outros.

Filipenses 2:3 diz que os cristãos devem estimar, “considerando cada um, os outros superiores a si mesmo”.
Colossenses 3:13 instrui-nos a “suportar uns aos outros”.
Romanos 12:10, diz: “preferindo-vos em honra uns aos outros”.
Romanos 13:8 instrui-nos a “amar uns aos outros”.
Acerca do Casamento


A Bíblia indica que o casamento é uma aliança. (Malaquias 2:14, Provérbios 2:17)

O casal está definitivamente casado. Sem Deus, o casamento é apenas uma aliança entre duas pessoas. O Senhor não vive em nenhum dos dois, por isso Ele é apenas testemunha do casamento. Deus espera que honremos a aliança, ainda que não foi de sua escolha. (Josué 9 e 10).

Aliança significa morte à vida independente

Não existe: “eu” e sim, “nós”. O outro parceiro tem direito de exigir que cumpramos a aliança ou as promessas da aliança. (Jeremias 3:14 e Josué 9:5-10). A aliança do casamento é selada com um juramento (voto), por isso os votos do casamento são assuntos sérios. (Eclesiastes 5:4-5).

3. Casamento em Cristo como uma dupla aliança

A aliança inicial de Deus com o homem estava ligada ao casamento original do homem e a mulher. (Gênesis 1:27-28). Quando o Senhor faz parte de uma aliança de casamento, ela passa a ser uma aliança entre Deus e os cônjuges e entre as duas pessoas. Os benefícios da aliança de casamento, como Deus o planejou, estão disponíveis somente para aqueles que estão em aliança com Deus. (Jeremias 32:38-41).

Deus testemunha o nosso casamento, porém, se nenhum dos parceiros é salvo, Ele fica impossibilitado de participar do casamento. E quando pelo menos um dos parceiros recebe Jesus, Deus se torna parte do casamento. (1Coríntios 7:14).

Cada cônjuge precisa fazer um compromisso pessoal com Jesus para receber a salvação. (Romanos 3:22-24)

Quando ambos os parceiros são salvos, poderão experimentar a plenitude do relacionamento como Deus havia planejado para o casamento.

Hebreus 9:14: “Muito mais o sangue de Cristo que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas para servirmos aos Deus vivo”.
Share:
Postar um comentário