22/09/2008

O que será que está acontecendo com as crianças de hoje?!






Recentemente, na igreja em que congrego há 09 meses, comecei a ensinar crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, e fiquei impressionada com as coisas que essas crianças aprendem na escola e com outras pessoas por aí. Durante, as semanas que se passaram iniciei com eles um programa de estudos sobre Caminhos (Os caminhos que escolhemos seguir, com base bíblica), e notei que muitos deles não estavam dando a mínima importância para o que estava sendo estudado. E o mais incrível, passavam o tempo todo conversando ou discutindo assuntos não relevantes. Então, decidi questioná-los e explicar a eles algumas coisas sobre a fase que eles estavam passando, dando exemplos de outras pessoas que eles conheciam. E neste último sábado, já não tendo outra alternativa, decidi perguntar destas crianças quais os assuntos que interessavam a eles, algo que eles gostariam de explicação para tirar algumas dúvidas. E de imediato, sem rodeios eles foram me dando uma lista de assuntos, e pasmem, surpreende até um adulto. Fiquei espantada, porque para crianças nesta idade é um tanto díficil interesse por tais assuntos. Você deve estar curioso(a), não é? Calma que eu chego lá, deixa eu continuar a ordem dos fatores.
Bem, sai de sala de aula com as anotações, para começar a pesquisar a partir de hoje sobre tais assuntos. Agora, eu perguntei a eles que assuntos os interessava porque vi que as conversas que eles tinham e as atitudes estavam totalmente voltadas para algo errado em seu comportamento. Meninos de 10 anos falando do corpo de uma mulher, contando histórias de que seu professor havia mandado usar a camisinha, e ainda deram camisinha para a criança, não explicando para quem, porque, e pra que seria!? Assustada, resolvi perguntar o que interessaria. E estou eu aqui, consultando na net, sobre estes assuntos.

O que mais me deixa triste, é saber que essas crianças tem procurado explicação para essas coisas em lugares errados, com pessoas erradas. Teve um que me disse que já tinham oferecido drogas a ele. Pensem na situação em que se encontram nossas crianças, a mercê de qualquer pessoa e qualquer coisa, sem conhecimento nenhum, sem defesa, pois algo que não conhecemos não podemos combater. Por isso, estou travando uma batalha para levar essas crianças a andarem num caminho de luz, de paz, felicidade e harmonia, mesmo que ainda tenham problemas pelo caminho, mas farei minha parte. E o que mais me entristece, é saber que seus próprios pais, por medo ou até mesmo vergonha, não conversem com seus filhos sobre esses assuntos, pois quando nós pais nos omitimos das coisas que acontecem com nossos filhos, somos culpados por um futuro frustado, de um filho rebelde, que nunca ouviu ninguém. E ainda por cima, somos culpados por entregarmos nossos filhos nas mãos de qualquer pessoa que possa ensinar a eles os caminhos errados, a maneira errada de conhecer a si mesmo, a maneira errada de encarar a vida saudavelmente. E nossos filhos, adquirem amigos nas ruas, na escola, e em outros lugares, porque seu pai e mãe, não se preocupam sequer fazer amizade com o filho, e virar seu melhor amigo, ou seja, ser o seu herói.
É por essas e outras coisas, que temos vistos, crianças, adolescentes e jovens, vivendo num mundo desorientado, alienado as conversas alheias, alianado a um sistema conformista. Perdendo seus sonhos, deixando de ser criança, deixando de ser adolescente, de ser jovem para ingressar numa vida sem sentido, sem objetivos e sem razão. Meninas, engravidam de outros meninos, crianças que não tem capacidade emocional, espiritual e financeira, para se sustentar, para cuidar de outro ser. Muitos despreparados, entregam aos seus pais a responsabilidade de cuidar daquilo que foi consequência de seus atos, de sua rebeldia, ou até mesmo por culpa dos próprios pais que não souberam ser amigos de seus próprios filhos, preferiram conversar com a vizinha do lado, ou a amiga de longe, sobre assuntos que não interessavam, à cuidar de seu filho, a saber o que se passava com eles.
Esse desabafo, é extritamente pessoal de minha parte, pois eu tenho vivido e vejo todos os dias, pois também sou mãe de quatro meninos nas idades de 03, 05, 07 e 09 anos, e como mãe tenho que ser a melhor amiga dos meus filhos, a mãe confidente, a mãe ajudadora, e não aquela mãe que aponta apenas os erros dos filhos, e não os ajuda a ver os acertos. E como mãe, digo aos pais que tem filhos, sendo eles crianças, adolescentes ou jovens, que sejam mais amigos, mais companheiros, mais confidentes, pois o que valerá para o dia de amanhã, será aquilo que plantarmos hoje.
Pense nisso, Para quem será que seu filho tem contado os segredos mais íntimos de seu coração? Com quem será que ele tem compartilhado as transformações que ocorrem no seu corpinho em desenvolvimento?
Está na hora de acordar, papai e mamãe!

Bem, como eu disse, estão aí os assuntos de interesse dessas crianças:
  • Masturbação;
  • Homossexualismo;
  • Lesbianismo;
  • Imoralidade sexual;
  • Sexo;
  • Palavras torpes (Palavrões);
  • Vulgaridade;
  • Virgindade;
  • e muitas outras, que não lembro muito bem, pois estão anotados em meu caderno lá em casa.

Cuide do que é seu agora, para mais tarde não dizer que a culpa foi da falta de tempo! (Ligiane)


Fica aí o meu recado. Grande abraço pra todos!!!
Share:
Postar um comentário