16/11/2008

A carta: A história de Rosa

Rosa é uma mulher abatida e triste. A sua vida é uma vida cheia de altos e baixos, a sua história é infeliz. Ela acorda todos os dias imaginando como seria diferente se fosse realmente feliz. As suas mágoas ela coloca em uns goles de cachaça, coca-cola e cigarros. As músicas que Rosa ouve são totalmente melancólicas, e expressam o verdadeiro "eu" de si mesma. Outras vezes quando parece estar feliz, ouve músicas evangélicas, sua cantora preferida: Shirley Carvalhaes. Para Rosa, estar sóbria um dia de sua vida é luxo, beber, cair e levantar para ela é alegria.

Rosa me chamou para conversar, disse que sou uma pessoa boa, e que pareço muito com meu pai. Mas, também me disse que eu não gostava dela, falou que eu não era feliz, que eu trabalho demais e esqueço que tenho família. Disse que meu amor tem ciúme de mim, também falou que não queria ser crente, disse que Deus tinha muita coisa para fazer na minha vida. Fiquei pensando, se Deus falou com Balão através de uma mula, porque não falaria comigo através de Rosa, uma mulher solitária, que coloca suas mágoas em alguns goles de cachaça.

Rosa também falou que meu pai sempre foi uma pessoa que ajudou os outros, e ainda fez eu lembrar que era criança ainda, e disse que eu era igual a ele, mais uma vez. Rosa me deixou pensativa. Então decidi escrever uma carta para ela. Contendo o seguinte:

Rosa,

Mesmo que para você eu pareça infeliz, mesmo que não dê atenção a minha família como você diz, eu sei que sou feliz. Porque pra mim, quando estou triste coloco as minhas mágoas nas mãos de Deus, e por isso sei que sou vitoriosa. Mesmo que para você pareça que não amo o meu amado, eu sei que o amor que sinto por é real, e não preciso me embriagar para falar isso a ele. Mesmo que para você pareça que não dou atenção aos meus filhos, eu sei que um minuto da minha atenção dada a eles é como ganhar na loteria, pois o fato de ver um sorriso no rosto de cada um deles para mim já é uma vitória.

E mesmo que eu nunca fale com você, não quer dizer que eu te odeie, mas, eu me preocupo com você. Mesmo que para você não pareça, eu gosto muito de te ver. E pra mim é uma alegria ver você viva, ainda em pé, apesar de toda a cachaça que você tem tomado durante esses dezoitos anos que conheço você. Eu era criança sim, tinha 10 anos quando te conheci, e você já bebia desse jeito, era normal para mim. Hoje, tenho 28 anos, e já não vejo como antes, agora não é normal pra mim.

Você disse que gostaria de ser feliz! E eu te disse que Deus é a única felicidade que o homem ou mulher podem encontrar. Pois, foi nEle que eu encontrei essa felicidade, de uma maneira diferente, assim como você também fui vazia, infeliz e triste.

Hoje, Rosa, eu sou feliz, porque mesmo que muitos não acreditem, mesmo que você não acredite, eu sei que sempre serei feliz, pois o meu amado Jesus que morreu na cruz para hoje eu estar aqui, também me ama, porque vejo a ação dEle na minha vida. Sempre o vejo agir na minha família, no meu trabalho, nos meus empreendimentos.

É Rosa, assim como sou feliz, mesmo em meio a tantos problemas, e tantas dificuldades, quero que você seja feliz, quero que tudo dê certo na sua vida, e penso que esse dia chegará logo.

Quero te ver feliz em todo o tempo, pois não desejo aos outros o que o mundo deseja. Desejo a você o melhor.

Rosa, eu sempre estarei aqui. Se precisar de mim, é só chamar. Mas, não me peça para te ajudar a ir mais fundo para o buraco, não, eu não te darei dinheiro para alimentar seu vício. Você me pediu cinco reais e eu simplesmente não dei, fechei as portas de casa e não te dei dinheiro algum. Fiz para o seu bem.

Agora me despeço, e espero um dia poder falar novamente com você, mas dessa vez, que estejas sóbria, e principalmente, feliz!

Share:
Postar um comentário