16/11/2008

Ser em vez de Ter


João 8:31-32
    Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

 
    Mateus 22:29
    Jesus, porém, lhes respondeu: Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus;

 
    Oséias 4:6
    O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.


Estes versículos deveriam ser prioritários em pregações e ensino. Estamos falando de salvação. Salvação é o que Jesus veio pregar na Terra. Bênçãos, prosperidade, saúde, vitória são consequências da salvação. Mas hoje parece que redimensionamos as prioridades. Estamos pregando as consequências e esquecendo do principal.

Temos falhado em mostrar às pessoas que elas terão bênçãos sendo bênção para outros. Nós teremos tudo de Deus, quando Deus tiver tudo de nós. Estamos preocupados com o TER e esquecemos do SER. Se estivéssemos preocupados com o SER, seríamos assíduos na EBD, pois é nela que SEREMOS melhores, SEREMOS mais conhecedores da Palavra da Deus e da Vontade de Deus para nossas vidas.

    É nela que aprenderíamos a melhor maneira de orar, e pedir as bênçãos a Deus.

    É nela que buscaríamos e praticaríamos melhores dons, e conheceríamos a nós e a nossos irmãos em Cristo.

    É nela que teremos Conhecimento.

    É só através dela que compreendemos o Poder de Deus.

    É só através dela que podemos permanecer em Cristo.

    É só através dela que teremos libertação.

    É só através dela que aplicaremos em nossas vidas o que João, Mateus, Oséias e Nosso Senhor Jesus Cristo nos alertam com relação ao ensino.

Jesus antes de mais nada é chamado de Mestre (Rabi). Veja João 3:2; Lucas 5:5; 8:24-25; 9:33,49; 17:13. Isto é, uma pessoa de ensino. Jesus quando chegava em um local, dirigia-se à sinagoga da cidade e ensinava. Começava seu ministério ensinando. Só depois, então, que curava, pregava, fazia outras maravilhas. Mas mesmo após curar e pregar, Jesus continuava ensinando.

Confirme isto em Mt 4:23; 5:2; 7:29; 9:35; Mc 6:34; Lc 4:15; 5:3; Jo 7:14; 8:2.

Hoje pregamos ao contrário. Pregamos assim:

    Venha e receba a bênção poderosa.

    Venha que você será curado.

    Venha que a prosperidade bate à sua porta.

Mas o certo é:

    Venha e aprenda como ganhar o Reino de Deus, primeiramente.

    Venha e aprenda como ser salvo.

    Conquiste sua Salvação, aprendendo na Palavra de Deus os passos para isto.

Só então, automaticamente, virá a bênção, a cura, a prosperidade, a libertação.

Estamos dando de graça, de forma mastigada, sem esforço, o modo de conseguir as bênçãos. Pregamos sobre Moisés, Jesus, José, Paulo, mostrando seus exemplos, o que foram, o que fizeram, o que conseguiram. As pessoas acomodam-se então, não buscando mais alimento espiritual por si próprias. Esperam que em outras pregações lhes falem dos grandes exemplos, das formas de obter as coisas. Com isto, as pessoas não estão se esforçando para conseguir o que elas necessitam por si mesmas. O aprendizado desta forma, somente falado e decorado (e não vivenciado), é esquecido. Este é um dos motivos que tantas pessoas passam por nossas igrejas e não ficam.

Estamos lhes dando tudo sem esforço, e numa ordem trocada: Primeiro as bênçãos, depois o ensinamento da Palavra (o real motivo das bênçãos).

Quando os pastores interrompem o somente dar bênçãos, com a finalidade de fazer seus membros subirem alguns degraus: batismo com Espírito Santo, ensino da Palavra, discipulado, oração, busca de poder e busca de dons..., as pessoas então saem das igrejas e buscam outras igrejas ou comunidades que ainda mantém o ciclo de dar (bênçãos, prosperidade, cura...). Mas lá também se precisa parar e iniciar a subida dos degraus, sob pena de se ter somente

    pedintes da fé,

    mendigos da bênção,

    ouvintes e não praticantes da Palavra.

Aí as pessoas voltam. Se não voltam, vão a outras igrejas e a busca se eterniza, sem resultados. Entram de igreja em igreja tentando receber a injeção da bênção, viciadas em TER, esquecidas de SER.

Um sábio chinês disse certa vez que é mais interessante se ensinar a pescar que se dar o peixe. Ensinando-se a pescar, o aluno poderá pescar sempre que quiser ou der fome. Enquanto que se não ensinar, o suposto aluno procurará sempre seus mestres da pesca (ou da fé), esperando algum peixe para ser doado. O suposto aluno sempre estará dependente de alguém para pescar.

Devemos aprender a ganharmos a salvação. Devemos aprender o modo de não perder a salvação. E nunca mais se esquecer disto.

É este o exemplo que Jesus nos mostra: Ensino é a chave. É pela falta de ensino na igreja e é pela inversão de ordem de prioridade (dar e depois ensinar, quando deveria ser ensinar e depois dar), que as pessoas não ficam em nossas igrejas. E é também por este motivo que as EBDs estão vazias.
 Neste momento Deus está neste lugar.

O Espírito de Deus irá falar com você. E já está falando.

Repita, com as mãos levantadas, estas palavras:

EU / SOU UM VITORIOSO / EM NOME DE JESUS.

DEUS / TEM UMA BÊNÇÃO / PARA MIM.

Aplauda este Jesus....
Share:
Postar um comentário