03/01/2009

Parte 1. COMO TUDO COMEÇA

Pornografia

Muita gente é apresentado à pornografia quando pequeno. Pode ser em conversas com aquele tio que deseja ver o sobrinho se tornando um homenzinho, ou naquela conversa de escola quando suas amigas resolvem ir na casa das amiguinhas assistirem exorcista mas no meio da fita uma amiga põem um filme pornô para as garotinhas conhecerem a anatomia do homem. Quando crianças, muitos menininhos que hoje são adultos foram expostos aquela “brincadeira” de “troca-troca” não precisa haver uma explicação para esse termo, mas muitas pessoas que foram expostas a isso começaram uma vida de escravidão à pornografia. Várias historias, vários modos de se tornar um viciado e ter o caráter mudado em pouco tempo, conhecemos uma menina que foi apresentada à pornografia pela primeira vez quando descobriu revistas de sexo explícito debaixo da cama de seu pai. Anos de escravidão se seguiram. Quando a pornografia já não o excitava mais, ela começou a andar pelos arredores de seu bairro e espiar pelas janelas. Ela passava horas pelas janelas, esperando o vislumbre de um corpo nu. Depois de arruinar um casamento e quase fazer o mesmo com outro, ela finalmente buscou ajuda.

O vicio começa dessa maneira através de pequenas atitudes.

Todas essas pessoas compartilhavam algo em comum: elas se tornaram viciados com um comportamento sexual compulsivo. Vício é um conjunto de hábitos pecaminosos de pensamentos e ações que se transformam em um estilo de vida.

Assim, existem aqueles que desenvolvem um estilo de vida de satisfação sexual e tornam-se viciados no “clímax” associado à atividade sexual, da mesma maneira que outros se viciam na euforia do álcool ou das drogas. Quando os homens enfatizam demasiadamente a importância do sexo na vida deles, este começa a ditar-lhes um estilo de vida, e eles ficam obcecados por pensamentos sexuais. No fim, perdem o controle sobre com que freqüência, com quem e sob quais circunstâncias terão relações sexuais. Eles tornam-se prisioneiros de um comportamento sexual compulsivo.
Sentimentos perversos

No começo do ano três filmes pornográficos voltados ao público homossexual foram retirados de circulação na Europa depois que a investigação de um programa jornalístico revelou os riscos da chamada pornografia bareback – que consiste na prática sexual sem o uso de preservativo. Oito atores mantinham relações sexuais entre si sem usar camisinha. Quatro dos atores que participaram dos filmes foram diagnosticados como soropositivos logo depois das filmagens. Um deles disse que estava angustiado pela venda das imagens que, segundo ele, mostravam o momento em que foi infectado.

De acordo com especialistas em saúde, o sucesso dos filmes pornográficos deste tipo é um sinal de complacência da sociedade em relação aos riscos do HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis.

O que começa como “apenas se divertindo um pouco” ou “satisfazendo os desejos normais”, gradualmente os atrai cada vez mais fundo para o lodo da escravidão. Se continuarem sem se arrepender, Deus irá entregar-lhes a um sentimento perverso (Rm 1.28).

F: BBC2 / Pure Life / SXC

Share:
Postar um comentário