09/01/2011

Berçário - coisa de gente grande!

Ao contrário do que muitos pensam, ter um berçário não se resume a colocar uma porção de berços, um fraldário para higienização e colocar chupetas na boca dos bebês que começam a chorar.
Além de uma estrutura física razoável, é preciso que os cuidadores de bebês saibam o que fazer com eles, a partir de uma visão espiritual e técnica, muito além das mamadeiras.
É preciso explorar, dentre outras coisas, a estimulação dos bebês. Nessa fase da vida, a exploração dos movimentos corporais está diretamente ligada ao desenvolvimento global da criança (corpo-alma e espírito), e deve ser constantemente permitida e trabalhada.
 
Outro tema muito importante é o papel da sensibilização musical nos primeiros anos de vida. É preciso ter uma abordagem adequada para expor os bebês aos sons, aproveitando para deixá-los conhecer músicas de louvor a Deus. Afinal, o próprio Jesus disse que da boca dos pequeninos e dos que mamam no peito de sua mãe, é de onde vem o perfeito louvor a Deus.
A questão da musicalidade aparece inclusive na tonalidade da voz dos berçaristas – é preciso ter consciência que até mesmo o tom com que falamos entre nós, e com a criança, irá interferir em suas sensações e bem-estar.
Até mesmo as questões de higiene, ao invés de simplesmente troca da fralda da criança, podem se tornar um momento único e prazeroso, de contato, conversa e canto. Isso afeta visivelmente o desenvolvimento dos bebês.
 
Cuidados assim, além de inovar e aprimorar o trabalho com os bebês, têm ainda o efeito de deixar os pais mais seguros e tranqüilos com o trabalho realizado no berçário, por pessoas capacitadas e comprometidas em amor pela vida desta preciosa geração que não escapa aos olhos e planos de Deus.

 
“Antes que eu te formasse no ventre, te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; e te chamei profeta às nações. Jeremias 1:5 "
Extraído e adaptado de: Cláudia Guimarães. Berçário também é lugar de aprender !
Share:
Postar um comentário