09/01/2011

, ,

O Papel do Brincar

Há alguns anos, acreditava-se que o brincar estava muito distante do aprender e que era impossível aprender enquanto se brincava, tornando, assim, os momentos de uma atividade e de outra, separados.

Mais tarde essa idéia foi substituída por outra, onde havia o brincar lúdico e o brincar para ensinar. Nesse momento, acreditava-se que o brincar lúdico era aquele em que a criança nada aprendia, mas se distraía, se alegrava e se animava, enquanto o outro era para o desenvolvimento de habilidades.

Essas idéias ficaram no passado, pois hoje podemos ver que a criança aprende enquanto brinca, desenvolvendo a imaginação, fundamentando afetos, explorando habilidades e fecundando competências cognitivas e interativas. Ou seja, a criança quando brinca estimula a memória, explicita sensações emocionais, desenvolve a linguagem, exercita níveis diferenciados de atenção, explora diversos estados de motivação, fazem vínculo com o mundo real e dão novos significados aos acontecimentos, favorecendo a auto-estima, a interação, a linguagem, a emoção, a atenção, a criatividade e a motivação.


Portanto, deixe seu filho brincar o quanto quiser, brinque também com ele, façam brinquedos de sucata juntos, inventem novas brincadeiras, troquem de papéis, mas não esqueça que nem sempre brinquedos caros e eletrônicos trazem todas as vantagens que um brinquedo simples, ou, até mesmo, sucata, podem trazer, pois trabalham muito a criatividade e o desenvolvimento integral da criança.
Share:
Postar um comentário