21/12/2011

Adolescentes querem compreensão


Alguns já taxaram erroneamente estes jovens de "aborrecentes". Durante o crescimento e o desenvolvimento da criança, as experiências são vividas e elas estarão aflorando...

Exatamente nesta fase, a adolescência. Somam-se os próprios desafios, os do presente e do futuro. Tudo isto vem fazer da adolescência uma fase difícil de ser enfrentada pelo próprio adolescente, como também compreendida pelos adultos. O propósito desta matéria não é apenas o de ajudar o adolescente a enfrentar com maturidade esta fase, mas também proporcionar ao adulto uma visão mais clara dos conflitos da adolescência e ajudá-lo a construir e edificar o jovem durante essa experiência. 


Vamos refletir de forma sumária sobre algumas características importantes e fortes da adolescência: 



A - ENERGIA EM POTENCIAL 
A criança vem num processo fantástico de crescimento e descobertas, e, na adolescência, são possuidores de uma energia em potencial. Eles estão sempre em movimento físico, sempre prontos para a próxima aventura. Até parece que estão ligados em 220 watts. 



B - OS LIMITES 
O adolescente está descobrindo o mundo, está conhecendo coisas e tentando se encontrar neste contexto de vida. Um dos grandes problemas que o adolescente encontra, é a dificuldade de reconhecer o limite das coisas. Enquanto a maioria dos adultos já sabe e vive certos limites, o adolescente não entende que existam limites, por vezes, atropelam tudo e todos. Neste ponto entra o forte "conflito de gerações", quando os pais tentam estabelecer limites, mas o adolescente não os reconhece, pois a vida para ele é ainda uma grande descoberta num mundo infinito de aventuras. Os limites de horário, de amizades, de comportamentos, de palavras, de escolhas e opiniões, estabelecidos pelos pais, parecem ser desconhecidos e irrelevantes ao adolescente. 



C - INFLUÊNCIAS 
Sabemos que as amizades podem ser uma fonte de boas ou más influências na vida do adolescente. Todo adolescente tem necessidade de viver e conviver em turmas ou "tribos". Infelizmente, nem todas as amizades possuem valores e princípios corretos e isto se torna um perigo, caso o adolescente não saiba como escolher. Por vezes, os pais lutam para proporcionar uma boa educação e formação e sofrem, quando o filho é influenciado por más amizades. Muitos adultos sofreram traumas por uma adolescência conturbada, no desejo de se sentirem aceitos por um grupo e se auto-afirmar. Muitos iniciam cedo experiências com cigarro, chopes, prostituição, pichações e até vandalismo, porque são influenciados de forma errada. Daí vem o brinco, o cabelo pintado, a calça rasgada e o vocabulário diferenciado. 



D - CONFLITOS 
Na adolescência, os conflitos afloram de forma veemente. Vamos pensar em alguns deles: 

1) O CORPO
Para muitos é complicado lidar com o crescimento do corpo, parece que é disforme. Às vezes, o nariz parece desproporcional, o pé não pára de crescer, há o crescimento dos pêlos, dos seios e do pênis... O adolescente tem, por vezes, dificuldade de assimilar esse desenvolvimento corporal. 


2) AUTORIDADE 
Em regra geral, o adolescente tem dificuldade em reconhecer e aceitar uma autoridade. Alguns adultos vivem o saudosismo do tempo em que o pai era obedecido por apenas um olhar, hoje em dia, parece que vivem um outro extremo, nem o olhar, nem o falar, nem o bater, nem o castigar, parecem estabelecer princípios de autoridade na vida do adolescente. Quando os pais não conseguem transmitir esses princípios de autoridade, o adolescente terá dificuldade de obedecer na escola, no trabalho e na igreja. 



3) DIREÇÃO PROFISSIONAL 
Outro conflito que o adolescente vive é o fato de, ao se aproximar dos anos finais do colégio, precisar escolher a profissão a seguir. Que curso fazer? O que eu vou ser? Se esse conflito não for solucionado, você verá o estudante entrando e saindo de faculdades, porque não sabe o caminho certo a seguir. A escolha de hoje poderá não ser a do ano seguinte. 



4) SEXO 
É na adolescência que ocorre o conhecimento real e a identidade masculina ou feminina. É uma fase de definição, a qual pode levar o adolescente a conflitos. O menino preocupa-se, por ter uma voz ainda fina, não ter pêlos desenvolvidos e não se interessar por meninas. Por sua vez, a menina por achar que tem traços masculinos, pêlos que começam a crescer e a falta de interesse por meninos. Isto pode gerar conflitos e distúrbios na área da sexualidade. A descoberta e prática do sexo, nesta idade, têm gerado centenas e milhares de meninas grávidas, assumindo um papel de mãe precoce. 



5) NAMORO 
Um grande perigo nesta fase da adolescência é o namoro. Muitos adultos ainda sofrem com as frustrações que tiveram, quando adolescentes. A falta de conceitos e princípios corretos de um relacionamento a dois podem gerar feridas e conseqüências para o resto da vida. O "ficar" com um, com outro, com mais outro e outro, tem gerado uma adolescência descompromissada e irresponsável. O namoro está muito mais próximo do físico do que do emocional. 



6) RESPONSABILIDADE 
Em regra geral, o adolescente tem dificuldades de ser responsável com as tarefas. Ele enxerga o mundo de forma "light", não tem muito a noção das conseqüências. Para ele, para tudo se dá um jeito, tudo se resolve. São poucos aqueles que assumem um compromisso hoje, e realmente continuam amanhã. Nesta fase, o adolescente pensa muito na namorada, nos passeios, nas variadas diversões e esportes. Estudar e trabalhar parecem não ser prioridades. 



7) COMPORTAMENTO 
Um conflito gerado pelo adolescente é a sua forma irreverente de se comportar. Há como se fosse um padrão de comportamento, como se fosse um estereótipo. Você identifica um adolescente pelo seu jeito desleixado de andar e sentar, o uso de tênis grandes, chamativos e exagerados. A barra da calça arrastando no chão, o cabelo pintado, o brinco na orelha ou no umbigo, o boné quase permanente, fazem parte de um modismo que padroniza o comportamento do adolescente. 



CONCLUSÃO

Creio que os pais, os adultos e a igreja têm uma contribuição fundamental a dar ao adolescente. 


1° - AMOR - É preciso deixar claro para o adolescente que ele é amado. Isto não apenas com dinheiro ou presentes, mas com gestos e palavras. O adolescente precisa ser amado.



2° - DIÁLOGO - Os pais precisam ter intimidade com o filho, manter um diálogo aberto, ajudando-o em seus conflitos e necessidades. Seja amigo de seu filho. Abençoe e não amaldiçoe.



3° - PACIÊNCIA - Precisamos ter paciência para ensinar duas, dez, vinte vezes a mesma coisa. Não desista nunca.



4° - AMIZADES - Ajude o adolescente a escolher bons amigos. Lembre-se de que ele precisa de boas amizades.



5° - ESTABELEÇA FUNDAMENTOS - Sabendo das situações que o adolescente enfrentará, os pais devem estabelecer fundamentos sólidos para os filhos viverem uma adolescência sadia. Esta é uma tarefa que Deus delegou aos pais e não apenas às escolas ou à igreja. Os fundamentos morais e espirituais serão os alicerces para que o adolescente não seja influenciado erradamente. Conheço inúmeros adolescentes que são bênção em casa, no trabalho e principalmente na igreja. São exemplos para outros.



6° - A IGREJA - Como igreja, acolhemos e amamos o adolescente. Procuramos criar espaço para que desenvolva atividades em grupo, são instruídos na Palavra de Deus e corrigidos, quando necessário. Creio que a igreja tem muito para oferecer ao adolescente e, conseqüentemente, aos pais e à família. Se necessário, recorra e peça ajuda ao pastor da Igreja. O adolescente bem formado e orientado é uma fonte em potencial para trabalhar na igreja e na vida secular.



7°- ORAÇÃO - Os pais e a igreja devem colocar em oração a vida do adolescente. E o poder de Deus que estará operando na família e no adolescente. Se os pais estão enfrentando problemas com o filho na adolescência, devem investir tempo em oração, fazer campanhas e clamar pelo Senhor. É a oração que mudará seu filho.


Pr. Joel Cardoso Jr. - Melodia
fonte:  Monte Sião



Share:
Postar um comentário